ALTÉIA, Althaea officinalis.
Plantamed

Busca no Plantamed, com o Google. Althaea officinalis L. - ALTÉIA

Nome científico: Althaea officinalis L.

Família: Malvaceae.

Sinônimos botânicos: não encontrado.

Outros nomes populares: malva-branca, malva-do-pântano, malvaísco, malvarisco; altea, bismalva, hierba cañamera, malvavisco e malbaxuri (espanhol); mauve blanche e guimauve (francês); altea comune (italiano); k'uei (chinês); risha-i-khinni e gulkhairo (hindú); common marsh-mallow, marshmallow, mortification root, sweet weed e wymote (inglês).

Constituintes químicos:
- raízes: mucilagem (5-25%) (galacturonorhamnano, arabino, glucana arabinogalactano), pectina (10%), asparagina, betaína, lecitina, fitosteróis, taninos, traços de óleo essencial;
- flores: mucilagens (5-10%), traços de óleo essencial, flavonóides;
- folhas: mucilagens (10%), amido, traços de óleo essencial.

Propriedades medicinais: antiinflamatória, béquico, calmante, demulcente, descongestionante, emoliente, expectorante, laxante, sudorífero.

Indicações: asma, bronquite, constipação intestinal, diarréia, dissolver muco, dor de garganta, dor de dente, enfisema, estomatite, gastrite, gripe, inflamação das mucosas da boca, inflamação do aparelho urinário (rins, bexiga, cálculos, fluxos da vagina), irritações e congestão em peles sensíveis, prisão de ventre, resfriados, ressecamento da pele pós-sol, síndrome de intestino irritável, tosse, úlcera gastroduodenal, uso tópico (queimaduras, abscessos, furúnculos, gengivite, faringite).

Parte utilizada: folhas, flores, raízes.

Contra-indicações/cuidados: pode reduzir a absorção de outros medicamentos que se toma ao mesmo tempo. Por outro lado pode prevenir moléstias gástricas quando se usa medicamento com elevado quantidade de taninos. Em diabéticos, o médico deverá controlar a glucemia para ajustar, as doses de insulina ou antidiabéticos orais.

Modo de usar:
- raiz: abscessos, cálculos, calmante, diarréias, disenterias, emoliente, expectorante, fluxos vaginais, gengivas irritadas das crianças; inflamação externa, inflamação da uretra, inflamações dos intestinos, prisão de ventre, inflamação da mucosa interna da bexiga, sudorífera eficaz;
- folhas, por infusão: enfermidades das vias respiratórias, coqueluche, caxumba, escarlatina, rubéola, afecções da boca, antiinflamatório intestinal, abscessos;
- infusão ou decocção a 5%: dose máxima diária: 500 ml;
- extrato fluido: dose máxima diária: 20 ml;
- decocção de raízes por 10 minutos, para banho: acalmar irritações;
- decocção de 10 a 20 g de raízes. Três xícaras ao dia;
- decocção de 20 a 30 g de raízes em um litro de água: compressas, loção, colutório e gargarejo;
- decocção de folhas secas em pouca água. Deixar amornar. Espalhar as folhas sobre uma gaze e aplicá-la sobre infamações cutâneas;
- decocção de 5 g de raízes cortadas em pedaços, em 150 g de água, até o líquido ficar reduzido a dois terços. Adoçar com mel, coar e beber em duas vazes: laxativo brando.
- infusão de 5 g de folhas secas em uma xícara de água bem quente. Adicionar uma colher de sopa de mel, bebendo em seguida: reumatismo, febres reumáticas;
- infusão de 5 g de folhas e flores secas em uma xícara grande de água fervente. Deixar esfriar e adoçar com mel. Beber 3 xícaras ao dia: dores reumáticas, tosse seca e nervosa;
- infusão de 50 g/l de folhas e flores: compressas, colutórios e gargarejos;
- maceração de 100 g de raízes em um litro de água (fria) por 24 horas. Filtrar e adoçar com açúcar. Tomar uma xícara antes de dormir: conciliar o sono e problemas respiratórios;
- maceração de uma colher de chá de raiz por xícara grande de água fria: inflamações das vias respiratórias superiores, antitússico, expectorante mucilaginoso, doenças gastrintestinais;
- mastigatório: raiz descortiçada (descascada): dentição infantil;
- combinada com Symphytum officinale: problemas digestivos;
- combinada com Glycyrrhiza glabra, Marrubium vulgare ou Lobelia inflata: problemas bronquiais;
- combinada com Ulmus rubra: para uso externo.
- raiz fresca: aplicar sobre abscesso bucais e furúnculos;
- Xarope: macerar 125 g raízes em um litro de água por 24 horas. Coar e em um recipiente de vidro adicionar 1,5 k g de açúcar e colocar ferver lentamente. Quando o açúcar tiver dissolvido apagar o fogo. Após esfriar adicionar 30 g de água de flor de laranjeira. Colocar em um vidro tampado por mais 24 horas. Tomar uma xícara à noite, antes de deitar: insônia;

Algumas espécies do gênero: Althaea.

Foto é encontrada em:
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-1.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-2.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-3.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-4.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-5.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-6.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p01/pages/althaea-officinalis-7.htm

Se você tem dúvidas quanto ao significado de alguma das palavras usadas nesta página consulte no Glossário.