ANGÉLICA, Angelica archangelica.
Plantamed

Busca no Plantamed, com o Google. Angelica archangelica L. - ANGÉLICA

Nome científico: Angelica archangelica L.

Família: Apiaceae.

Sinônimos botânicos: Angelica officinalis (Moench) Hoffm., Archangelica norvegica Rupr.

Outros nomes populares: arcangélica, erva-de-espírito-santo, jacinto-da-índia, polianto, raiz-do-espírito-santo; angélique (francês); ch'ien-tu (chinês); echte engelwurz (alemão); angélica, hierba de los ángeles, hierba del espíritu Santo e archangelica (espanhol), angelica (inglês), angelica arcangelica (italiano), archangelicae (latim).

Constituintes químicos: ácido angélico, ácidos graxos, amido, angelicina, archangelicina, bisabol, borneol, ß-cariofileno, cumarinas, a-felandreno, ß-felandreno, flavonona archangelenona, a-pineno, resina, sacarose, sitosterol, taninos, umbelliferona e xantotoxina.
- raiz: óleo esencial (0,3-2%), monoterpenos (alfa e beta felandrenos, alfa-pineno), sesquiterpenos (bisabolol, bisaboleno, beta-cariofileno), lactonas macrocíclicas, cumarinas (umbeliferona, ostol), furanocumarinas (angelicina, arcangelicina, bergapteno, xantotoxina, isoimperatorina). Sitosterol; ácidos fenolcarboxílicos; taninos; sacarose.
- frutos: óleo essencial (1%): felandrenos, furanocumarinas.

Propriedades medicinais: anti-séptica, antiácida, antiinflamatória, antitóxica, aperiente, aromática, carminativa, depurativa, digestiva, diurética, emenagoga, estomáquica, estimulante, fungicida, sudorífera, tônica.

Indicações: acidez estomacal, afecção (peito, garganta, pele), anorexia, ansiedade, asma, bexiga, bronquite, cãibra do baixo-ventre, cólica, convulsão, coronariopatia, dismenorréia, disenteria, disquinesia hepatobiliar, dispepsias hiposecretoras, dor de cabeça, dor dorsal, enfisema, enterocolite, espasmos gastrintestinais, febre, feridas, falta de apetite, fígado, gases, gastrenterite, gota, hipertensão arterial, histerismo, inapetência, insônia, melancolia, mucosidade pulmonar, problemas digestivos, prostação, retenção de líquidos, reumatismo, rins, úlceras dérmicas, vômito nervoso.

Parte utilizada: caule (talo), óleo essencial, raízes, rizoma, sementes, folhas.

Contra-indicações/cuidados: em altas doses, o óleo essencial é tóxico; pode provocar fototoxicidez, paralisia do sistema nervoso, fotomutagenia e câncer em contato com o sol. A planta fresca é fotossensibilizante (furanocumarinas), devendo-se evitar a exposição ao sol após uso tópico. A planta seca pode produzir dermatite de contato devendo manipulá-la com luvas.

Modo de usar:
- infusão de folhas secas ou frescas: aumentar a transpiração (em resfriados com febre);
- decocção das raízes, misturado com infusão de losna: cãibras do baixo-ventre, disenterias, mucosidades pulmonares. Externamente em fricções e compressas: afecções da pele, dores dorsais, reumatismo;
- infusão de 20 g de raiz em 800 ml de água fervente. Tomar em xícaras (das de café) durante o dia: depurativo do sangue, diurético;
- infusão de uma colher de chá de sementes secas em 100 ml de água fervente. Deixar esfriar, coar, adoçar e beber o líquido antes das refeições principais: estômago;
- macerar em dois litros de álcool a 60º: 20 g de sementes e folhas secas de angélica misturadas, 20 g de amêndoas amargas descascadas e esmagadas em pilão, meio quilo de açúcar fino e peneirado e 30 g de água. Deixar dez dias, filtrar o líquido e guardá-lo em um vidro. Tomar um cálice após as refeições: digestivo;
- colocar 30 g de sementes secas de angélica, 6 g de canela em pó e 4 g de noz-moscada em pó em um litro de vinho branco doce. Deixar dez dias, filtrar e colocar em um vidro. Beber um calicezinho após cada refeição: digestivo;
- infusão de 5 g de folhas em um litro de água fervente. Deixar esfriar, filtrar, adoçar e beber em xícaras (das de café) 3xdia: histeria;
- licor medicinal: macerar em dois litros de conhaque, 30 g de angélica cortada em pedaços pequenos e 30 g de amêndoas amargas amassadas e reduzidas a pasta. Depois de 4 ou 5 dias, coar num pano e acrescentar um litro de melado de açúcar. Filtrar e colocar em frascos.

Posologia: infusão ou decocção a 5% dose máxima diária: 200 ml.

Extrato fluido, dose máxima diária: 10 ml. Infusão: uma colher de sobremesa por taça de água. Tomar uma taça após as refeições.

Algumas espécies do gênero: Angelica.

Fotos são encontradas em:
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-1.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-2.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-4.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-5.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-6.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-7.htm
www.henriettesherbal.com/pictures/p02/pages/angelica-archangelica-8.htm

Se você tem dúvidas quanto ao significado de alguma das palavras usadas nesta página consulte no Glossário.